terça-feira, 26 de março de 2013

CONHEÇA PENHA, ARTE-EDUCADORA DO CIRCO DO PROJETO ÂNCORA


Quando se fala em Projeto Âncora, uma das grandes referências é o Circo Teatro Escola Vagalume, que tem por trás da entrada principal dos artistas, o trabalho de Maria da Penha Cerícola Vaz, a Penha. De família circense, ela nasceu no Rio de Janeiro, mas se diz brasileira, por ter passado por tantas cidades do País.

Sua primeira aparição no picadeiro foi quando ainda era bebê, numa encenação sobre a vida de Cristo, representando-o na manjedoura. Já aos 3 anos e 8 meses, apresentou com seu pai Acyr da Silva Vaz o número icários (acrobacia em dupla) e, depois disso, não saiu mais debaixo da lona do circo, apresentando-se até os 42 anos, quando passou a ensinar em circos-escola. 

Quando questionada sobre quais números apresentava, responde com bom humor: “É mais fácil falar quais eu não fazia: malabares, monociclo e laços. De resto, apresentava todos!”, sendo seus preferidos os números aéreos, principalmente o voo.

Há 16 anos como arte-educadora no Projeto Âncora, Penha diz que, ao ensinar as crianças, sua maior preocupação é “usar a arte como ferramenta de educação. Nos treinos, elas aprendem a trabalhar em equipe, confiar e respeitar o colega”. Acrescenta que os números de contorção e saltos são os principais a serem ensinados, pois, a partir deles, é possível aprimorar os demais, de acordo com o interesse e desenvolvimento do educando. Veja neste link os benefícios das atividades circenses.

Dentre os artistas de circo, tem grande admiração pelo palhaço Repolin, mas seu grande ídolo é seu pai, que lhe ensinou sua maior paixão até hoje. 



Penha com artistas mirins do Projeto Âncora


3 comentários:

  1. Amo a Penha!
    Ela foi minha professora no circo escola Grajau
    Com certeza essas meninas são privilegiadas de conviver com ela!
    Que legal ve-la de novo, ativa! :)

    ResponderExcluir